top of page
  • Foto do escritormarketing7752

Torres para vigilância contra incêndios: qual sua importância?

De janeiro a agosto de 2019, o Brasil registrou 90.505 focos de incêndio, segundo dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Essa é a maior quantidade registrada desde 2010.


Além disso, o tempo seco ajuda a aumentar o número de queimadas, principalmente no mês de outubro. Assim, as torres de vigilância contra incêndios são extremamente necessárias para poupar o agronegócio, a fauna e flora brasileira.


Elas são instaladas por empresas em áreas de povoamento comercial, fazendas, usinas ou unidades de conservação.


Dessa forma, é com o auxílio da telecomunicação que é possível estabelecer um sistema de monitoramento de câmeras em busca de evitar esses incêndios.


Neste artigo, vamos te mostrar de que forma essas torres operam, como surgiram, qual a sua importância e quando saber a hora de investir em uma torre de vigilância. Continue acompanhando para saber como revolucionar o seu negócio!


O que são as torres para vigilância?


Primeiramente, é importante que você entenda o que são as torres de telecomunicação, também conhecidas como torres de telecom.


As torres são estruturas que funcionam como suporte de antenas para recepção e transmissão de sinais de internet, rádio, televisão e demais sistemas de comunicação.


Elas têm uma grande altura e estão geralmente localizadas em topos de edifícios ou no solo para garantirem a eficiência do sistema e garantia de expansão da cobertura.


Assim, sua função geral é estreitar a comunicação entre transmissor e receptor. Além de contribuírem com a vigilância e segurança florestal, as torres também podem ser usadas para:


  • Iluminação.

  • Energia eólica.

  • Torres anemométricas.

  • Pesquisas espaciais.

  • Pesquisas atmosféricas.

  • Linhas de transmissão de energia.

  • Outros.

Onde surgiu a ideia das torres florestais?


A história das torres de observação de incêndio antecedem a fundação do Serviço Florestal dos Estados Unidos em 1905.


Isso acontece porque muitas madeireiras privadas e organizações florestais já atuavam contra incêndios antes de 1900.


As antigas torres de incêndio eram operadas por um guarda-florestal ou vigia de incêndio, ou seja, não contavam com um sistema automatizado e acabaram caindo em desuso.


O início da tecnologia para torres de monitoramento florestal


Foi entre a década de 1960 e 1990 que as torres receberam melhorias no sistema de transmissão radiofônica e demais tecnologias.


No Brasil, o setor florestal contou com inovações em equipamentos de alta precisão para detectar ameaças ou focos de incêndio.


A importância das torres de incêndio


A principal função das torres é realizar o controle e combate de incêndios, de forma que se possa antecipar e detectar os focos de incêndio ou fumaça.


Além disso, é super importante no combate a maiores danos ambientais,

econômicas e sociais na fauna e flora.


Quando investir em uma torre para vigilância contra incêndios?


Como já te mostramos, a utilização de torres de observação é um excelente método de detecção a focos de incêndio, oferecendo subsídios importantes para diminuir o tempo do primeiro foco de incêndio.


Esse sistema se mostra muito eficiente quando a maioria das causas do incêndio é de natureza humana, onde existem históricos de perturbações do ambiente.


Em empresas ou organizações voltadas para segurança florestal com as torres para vigilância contra incêndio serão capazes de fazer uma varredura de imagem com sensor infravermelho que pode detectar a presença de fumaça analisando-se cenas captadas pelas câmeras.


Além disso, com uma torre de telecomunicação, a instabilidade de sinal deixa de ser um problema, com um fluxo de comunicação eficiente.


Por fim, a torre é muito importante para observação e detecção de focos de incêndios ou fumaça, de tal forma que se possa antecipar as ações de controle e combate e evitar-se maiores danos ambientais, econômicos e sociais.


Quais os tipos de torres?


Os modelos mais comuns de torres de telecomunicação são as estaiadas e autoportantes. Mesmo com a mesma finalidade, elas possuem características diferentes que as tornam apropriadas para locais específicos.


No caso do monitoramento contra incêndios, ambos os tipos de torre cumprem bem o papel. Agora veja abaixo quais são elas e suas especificidades.


Torres autoportantes


As torres metálicas autoportantes são feitas de estruturas metálicas galvanizadas a fogo, com base piramidal.


Elas não precisam de cabos para se manterem estruturas e elaboradas com seções quadradas ou retangulares.


As torres autoportantes são produzidas e instaladas atendendo os mais rigorosos padrões de qualidade, utilizando normas técnicas vigentes nacionalmente e internacionalmente, em busca de atender as necessidades individuais de cada cliente.


Além disso, esse tipo de torre é adequada para as propriedades e se adequam ao terreno, são extremamente versáteis.


Enquanto na questão de altura, as torres autoportantes podem chegar até 120 metros de altura. Esse tipo de torre também se destaca pelo tempo de vida de até 50 anos, devido a sua alta resistência a ventos e durabilidade de corrosão.


Alguns dos exemplos de uso dessa estrutura são em rádio, televisão, energia eólica, iluminação e outros.


Torres estaiadas


Um dos principais tipos de torres para sustentação utilizados no mercado, a torre estaiada é uma solução econômica para o suporte de antenas de transmissão de sinais, como televisão, rádio e internet.


Diferente das torres autoportantes, as estaiadas precisam de cabos para a sua sustentação. Elas são formadas por um corpo metálico com módulos diagonais horizontais que também podem atingir grandes alturas (até 200 metros).


Esse tipo de torre é leve e também muito resistente, porém sua estrutura necessita de extensa área para a instalação e topografia favorável para garantir a fixação.


Projete e instale sua torre de telecom com o Grupo Ferrante


Que as torres de comunicação no combate de incêndios são importantes você já sabe! Por isso, considere investir em uma com uma empresa referência na fabricação e projetos de estruturas metálicas.


No Grupo Ferrante, todos os projetos dos modelos autoportantes e estaiadas são desenvolvidos por meio de simulações de alta confiabilidade. Além disso, cuidamos de todos os detalhes para que as torres apresentem o máximo de segurança, com projetos documentados desde a casa de abrigo, até a fundação e a planta estrutural.


Também oferecemos aos clientes todo o trabalho de elaboração, execução, montagem, instalação e aluguel de estruturas metálicas, a fim de levar a conectividade para todos os lugares do país, e de forma facilitada.


Entre em contato conosco e saiba mais sobre nossas soluções em torres.




266 visualizações0 comentário
bottom of page