• midiasocialroberta

Dicas para escolher o radiocomunicador ideal para a sua empresa

Empresas de diversos segmentos já sabem da importância de ter um sistema eficaz de comunicação interna. Nesse sentido, investir em radiocomunicadores é uma ótima opção, uma vez que ele permite que os funcionários e gestores se comuniquem de maneira mais rápida e dinâmica.


As funcionalidades do equipamento facilitam o trabalho desses profissionais, tornam-nos mais produtivos e aumentam a agilidade do time na execução de tarefas.


O problema é que, com tantos modelos disponíveis no mercado, escolher o equipamento ideal pode não ser tarefa fácil. Para fazer uma escolha assertiva é necessário estar atento a alguns fatores importantes.


Neste artigo, mostraremos quais aspectos precisam ser considerados ao decidir entre tantos. A fim de te ajudar nessa tarefa, conversamos com o diretor-geral do Grupo Ferrante, Lucas Ferrante, que vai mostrar quais características devem ser analisadas e o que um rádio precisa para ser considerado bom.


Ficou curioso para descobrir qual radiocomunicador é o ideal para a sua empresa? Continue com a gente até o final e confira.


Radiocomunicador profissional ou amador: qual é o indicado para empresas?


Essa pode ser uma dúvida de muitos empreendedores que querem investir em radiocomunicadores para tornar mais dinâmica e ágil a comunicação entre o seu time de colaboradores.


Qual modelo devo investir? Em um rádio profissional ou amador?


Para responder essa pergunta, é importante, primeiro, diferenciar os dois equipamentos.


O amador é o modelo que funciona no sistema analógico e que utiliza frequências abertas ao invés dos sinais de operadoras. Isso significa que durante uma transmissão, qualquer outro emissor pode acessar o seu canal, causando ruídos e interferências.


Além disso, eles alcançam distâncias reduzidas, possuem baterias com duração inferior e tendem a não oferecerem funções extras.


Já o rádio profissional costuma ser mais robusto do que os analógicos, tanto em funcionalidades quanto em design. Esse modelo utiliza um sinal digital, que é mais moderno e alcança uma qualidade melhor de transmissão. O rádio também oferece uma durabilidade maior da bateria, níveis de segurança mais elevados e múltiplas funções.


De acordo com o diretor-geral do Grupo Ferrante, Lucas Ferrante, para empresas, o segundo modelo é a melhor e única opção. Por se tratar de um rádio profissional, suas características são mais vantajosas para serem usadas em ambiente corporativo. Diferente do rádio amador, recomendado apenas para uso pessoal e hobby.

O que considerar para escolher o radiocomunicador ideal


Como dissemos, existe uma grande variedade de radiocomunicadores disponíveis no mercado. Os modelos profissionais são vendidos e fabricados por diversas marcas e para diferentes aplicações.


Devido a essa quantidade de modelos, na hora de escolher o rádio é necessário considerar alguns fatores. A partir daí será mais fácil encontrar o melhor modelo para o seu negócio.


Tipo de trabalho


Agilidade e dinamismo na comunicação à distância estão entre as principais vantagens do radiocomunicador. No entanto, para que esse processo aconteça de forma efetiva, é importante escolher o modelo que atenda às necessidades do seu negócio.


Segundo Lucas Ferrante, cada setor tem as suas peculiaridades. Setor industrial, agrícola, de segurança pública, da saúde, e todas elas precisam ser analisadas para que seja possível encontrar o modelo ideal para cada tipo de empreendimento.


Em determinadas funções em que os profissionais não conseguem apertar o PTT a todo momento (botão usado para emitir o sinal de voz), os modelos com reconhecimento de voz, por exemplo, podem ser uma opção mais vantajosa.


Dessa forma, é preciso considerar o tipo de trabalho e o sistema do aparelho para uma escolha assertiva.


Performance da bateria


Por serem produzidos por marcas diferentes e terem funcionalidades distintas, os radiocomunicadores costumam variar no quesito durabilidade da bateria. Alguns modelos apresentam uma performance melhor, com baterias que duram mais tempo.


Por isso, é importante observar a necessidade da sua empresa. O aparelho será utilizado por quanto tempo sem ser carregado?


Para atividades rápidas, não é necessário um rádio com bateria de alta capacidade. Caso contrário, existem modelos que oferecem uma autonomia melhor, com baterias que duram um período semelhante à carga horária de trabalho.


Área coberta pelo radiocomunicador


Outro ponto a ser considerado é a área que o radiocomunicador consegue cobrir. Existem modelos que oferecem um alcance menor e outros oferecem uma cobertura maior. Dessa forma, é preciso analisar, novamente, o que é mais interessante para a sua empresa.


No caso de uma indústria, por exemplo, você precisa de um rádio que cubra apenas a área interna ou que chegue até a sede da instituição localizada do outro lado da cidade? Além disso, a área é plana ou possui barreiras que podem atrapalhar a chegada do sinal?


Todas essas questões devem ser avaliadas criteriosamente antes de escolher o modelo ideal para o seu negócio.


O que um radiocomunicador precisa para ser considerado bom?


Se considerarmos que existem diversas marcas no mercado e vários modelos de radiocomunicadores, escolher o melhor aparelho, de fato, não é tarefa simples. No entanto, o diretor-geral do Grupo Ferrante ressalta a importância de escolher o rádio correto para o cumprimento de determinadas funções.


Em festas e eventos, por exemplo, um modelo mais simples pode te atender bem. Já para indústrias, o ideal é investir em aparelhos mais robustos, com uma durabilidade de bateria maior e melhor alcance.


Hoje, há rádios à prova d'água, poeira, queda e que oferecem um nível de segurança elevado, como é o caso do modelo ATEX, intrinsecamente seguro. Esse, especificamente, é indicado para locais com risco de explosão.


Assim, para ser considerado bom, o radiocomunicador precisa atender às suas necessidades e às funções em que será utilizado.


Dica extra: trabalhe com equipamentos originais


De acordo com Lucas Ferrante, trabalhar com radiocomunicadores originais é a chave para uma comunicação clara e efetiva.


Muitos consumidores optam pelos aparelhos “não oficiais” por demandarem menos investimento financeiro. Porém, é preciso entender que além de ter uma qualidade inferior aos originais, eles vão totalmente contra as diretrizes da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL). Neste artigo, explicamos melhor sobre a importância de adquirir apenas aparelhos licenciados e homologados e as consequências que ações contrárias a essas podem ter. Há riscos até para a saúde.


Prover soluções de comunicação unificadas com excelência é a nossa missão. Por isso, o Grupo Ferrante, parceiro e revendedor exclusivo Motorola, trabalha com a venda e locação de equipamentos licenciados, homologados e com a qualidade que só a Motorola oferece.


Atendemos em todo Brasil. Fale conosco para garantir segurança e dinamismo para as operações via rádio da sua empresa.


10 visualizações0 comentário
whatsapp-logo-1.png